fbpx
Dicas e Curiosidades

Uso terapêutico e culinário: Limão

Limão Tahiti (mais comum)

taihitiNome científico: Citrus aurantifolia

Parte que utilizamos: Fruto

Consumo: Fresco

 

Uso culinário: Oferece um aroma cítrico e refrescante. Seu sumo (suco) tempera aves, carne de porco, saladas e doces (melhor utilizá-lo ao final do preparo ou em marinadas curtas). Emulsifica (“encapsula”, envolve) gorduras, melhorando a absorção delas (muitas vezes é adicionado a pratos que contenham frituras ou óleo). A casca contém grande quantidade de óleos essenciais que fornecem aroma ao preparo dos alimentos (e propriedades terapêuticas). Evita que a couve-flor escureça durante a cocção (colocar 1 colher de chá do sumo, antes de levar ao fogo). Mantém a cor da guacamole (espremer uma boa quantidade em cima).

Dicas:

– Colocar 1 limão para cada 5 laranjas no suco de laranja ameniza a acidez do suco;

– Para aproveitar melhor o sumo, deixar o limão na temperatura ambiente e rolá-lo na bancada.

Componentes nutricionais (100g, sumo de 1 limão pequeno)

Nutriente Quantidade  % VD* Recomendado
Carboidratos 11,1g 11%
Proteína 0,9g próximo de 0%
Lipídeos 0,1g não determinado
Vitamina B1 (Tiamina) 0,30mg 25%
Vitamina B2 (Riboflavina) 0,04mg 3%
Vitamina C 38,2mg 42%
Potássio  128mg  3%
Cálcio  51mg  4%
Fósforo  24mg 3%
Magnésio 10mg  3%
Sódio  1mg  1%
Ferro  0,2mg 3%
Zinco 0,2mg 2%
Manganês 0,07mg  4%
Cobre 0,06mg 6%
*VD = Valores Diários aproximados. Quantidade que o indivíduo precisa consumir para atingir uma dieta nutricional adequada de acordo com o DRI/USDA. Foi baseado em valores para homens e mulheres jovens, adultos e idosos.

boa fonte de Vitamina B1 e Vitamina C

Ações terapêuticas: Evita a fragilidade capilar, serve como antídoto de venenos, antiinflamatório, diminui a febre (antipirético), diurético e pode evitar o escoburto (complicação relacionada à falta de Vitamina C).

Indicações terapêuticas: Fragilidade capilar, resfriado, febre, inflamação, reumatismo, escorbuto.

Precauções: Evitar consumir constantemente para não prejudicar o esmalte dos dentes.

Curiosidades: Ao contrário do que se pensa, o ácido cítrico do limão sofre transformações no estômago, convertendo-se em um sal alcalino (básico), o citrato de sódio. Pode ser indicado para acidez estomacal, mas com cuidado.

Experiência pessoal: Utilizei o limão com uma certa constância por causa de um problema que tive com armazenamento de gordura em excesso no fígado (esteatose hepática). Tinha aversão a gorduras ou qualquer aroma similar e não conseguia consumir nada que tivesse muita gordura e óleo. Ele é meu aliado e sempre está na cozinha, apesar dos odontos recomendarem não ingerir muito limão para não estragar o esmalte dos dentes.

Referências

Dietary Reference Intake (DRI)/ USDA

DUKE, J (org.). Handbook of medicinal herbs. CRC Press, 2 ed. 2002.

Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares